Home office

Eu, home officer (de verdade)

O home office é uma realidade para uma parcela significativa de pessoas desde o ano passado, mas, mesmo já tendo certa experiência em trabalhar em casa, algumas vezes parece que nosso rendimento não é o mesmo de quando batíamos ponto na empresa, não é? 

Eu andei pensando sobre isso e depois de receber um vídeo que trazia algumas dicas para um home office de alta performance, percebi que faltava uma coisa à minha rotina de “trabalhadora online” e agora divido aqui com você algo que pode não ser novidade alguma para quem saca de organização de tempo, mas que provocou um up no meu dia a dia. Talvez, isso sirva para você também!

Um tempo para cada tarefa

E para evitar isso, você precisa determinar o tempo que levará para finalizar cada uma das tarefas listadas no seu planejamento semanal, se concentrando ao máximo no que tem que ser feito. O pulo do gato, pelo menos para mim, é terminar um trabalho em até 50 minutos. Depois disso, é hora de descansar por alguns minutinhos para recuperar as energias. 

Há muito tempo eu já fazia um planejamento semanal da minha rotina e, acredito que você também já deve ter esse hábito. Mas um home officer de verdade não para em uma simples lista de tarefas e pode morar aí sua dificuldade com o trabalho remoto. Como estamos em casa, anotar o que precisa ser feito e os dias de entrega não garante que você realmente faça isso. 

Você pode dividir o ambiente de trabalho com sua família, ter um pet fofo te esperando para um momento de carinho, conversas de WhatsApp e um feed interessantíssimo para visualizar e acabar deixando o trabalho de lado. Acontece? Acontece! 

Técnica antiga

Isso lembra a técnica “pomodoro”. Você já ouviu falar? A conheci há uns dez anos, mas, incrivelmente, ainda não havia aplicado ela ao meu dia a dia no home office. 

Em tradução literal, pomodoro significa “tomate”, mas também é o nome de um método de concentração, que separa as atividades em intervalos de 25 minutos, pausas de 5 minutos e outra longa de 20 a 30 minutos. 

Tirar esses 20 ou 30 minutos de folga entre um trabalho e outro é essencial no home office (assim como é também nos escritórios). Parece bobagem, mas muita gente se nega essa “parada”, não consegue finalizar nenhuma das tarefas listadas no dia porque ficou “zapeando” entre uma e outra, e termina o dia exausta (eu, em um passado próximo, e quem mais?) 

A técnica se chama Pomodoro, pois seu inventor, o italiano Francesco Cirillo, usava um timer de cozinha no formato de tomate. Em italiano, tomate é pomodoro.

A minha versão da técnica é um pouco diferente, mas funciona para mim. Ao invés de 25 minutos máximos, eu fico até 50 pois algumas das minhas tarefas precisam de mais tempo para serem concluídas. É por isso que tiro menos tempo de descanso. Você pode adaptar o tempo à sua rotina também. Busque aquilo que se encaixa melhor ao seu dia a dia, não se esquecendo da premissa: hora de trabalho x hora de descanso para todas as tarefas. 

Se ainda não faz isso, testa aí também. É revolucionário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima