3 maneiras de viver com mais inteligência emocional e qualidade de vida

Volta e meia falamos por aqui das inúmeras funções e papéis que temos que exercer quer queiramos, quer não. Faz parte da vida tentar equilibrar o papel de profissional, mãe, esposa, amiga, filha, estudante etc. E digo ‘tentar’ porque nem sempre conseguimos, aliás, raramente. Por isso, hoje vamos falar de três maneiras para tentarmos viver com mais inteligência emocional e qualidade de vida.

1) Aprenda a dizer NÃO

O segredo do equilíbrio? Não dá pra ser outro senão FOCO. Priorize o que é mais importante para você e diga não a todo o resto. Afinal, tão importante quanto saber o que fazer, é saber o que não fazer.

Na maioria dos casos, não conseguimos dizer não por medo de machucar as pessoas, por receio do que elas vão pensar. Mas isso precisa ser superado. Você precisa escolher suas batalhas e reconhecer seus limites.

Não fique zangada nem desapontada porque as pessoas à sua volta continuam a te demandar, colocando pesos cada vez maiores sobre seus ombros. É sua responsabilidade mostrar que já tem o bastante. Ninguém é adivinho. Você precisa dizer isso a eles. Se você nunca disser: “basta, preciso de um tempo pra mim”, vão achar que não precisa disso. A única maneira de suportar as exigências colocadas sobre você é saber quando levantar a mão e dizer: “chega”.

Sempre há mais a fazer do que você é capaz e você só pode fazer uma coisa de cada vez. O segredo é se sentir tão bem em relação ao que você não está fazendo quanto ao que está fazendo no momento.

David Allen

2) Encha seu tanque

Com tantos papéis para desempenhar, você precisa ter cuidado para não chegar à exaustão. Você precisa ser reabastecida. Descubra algo que a reabasteça e a revigore. Uma massagem, ler um livro, um day off, um banho demorado, enfim. Permita-se fugir da rotina estressante. Não se esqueça que só fazer retiradas e nenhum depósito deixa qualquer conta no vermelho.

3) Pare de gerar dependência

Já parou pra pensar que você pode, ainda que involutariamente, estar conduzindo as pessoas a dependerem de você? Torne-se uma bússola, um guia, e evite se tornar o destino final de todo mundo. É sábio ser um meio e não um fim. Aprenda ainda a delegar, a descentralizar as tarefas que realmente não dependem de você. Desapegue, #plannerlover!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima